Noticias!!!

8 comentários

Olá pessoal, como vocês podem ver estamos meio parados ultimamente, mas é pela simples falta de tempo minha, já que não tenho mais o tempo que tinha antigamente, logo que o blog começou tínhamos posts todos os dias, depois de um tempo começamos a postar apenas alguns dias da semana sempre alternando dia sim dia não, mas agora nem esse tempo não estou conseguindo.

Mas como estamos no final do feriado de carnaval vou tentar postar pelo menos alguma coisa aqui e claro atualizar a enquete colocando os resultados e ativando uma nova, ok.

Bom é isso, abraços a todos e obrigados pelo s comentários postados aqui.

Anhuma

3 comentários




Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe:
Aves
Ordem: Anseriformes
Família: Anhimidae
Género:
Anhima
Espécie:
A. cornuta
Nome científico: Anhima cornuta


Descrição
A anhuma (Anhima cornuta) é uma ave anseriforme da pequena família Anhimidae.
Também é conhecida como inhuma, inhaúma, ema-preta, cametau, unicórnio (no estado do Amazonas), guandu (no estado de Mato Grosso), caiuá e itaú, entre outros nomes.

É a ave-símbolo do estado de Goiás.
A anhuma tem cerca de 60 cm de altura, 80 cm de comprimento 1,7 metro de envergadura e pesa em torno de 3 kg.

A plumagem é da cor bruno enegrecida e preta, exto no ventre, que é branca. A sua característica mais singular é a presença de um "espinho" córneo e curvo de 7 a 12 cm na cabeça. Possui também dois esporões, uma maior e outro menor, em cada asa.
O bico é curto e pardo escuro com a ponta esbranquiçada e as pernas são grossas e terminam e grandes dedos.


Vive aos casais e em grupos familiares, às vezes em bandos maiores.
As anhumas são aves outrora encontradas aos bandos nas margens do Rio Tietê, o que levou os silvícolas a dar ao rio o nome de Anhembi (ou, melhor dizendo, de anhumby: rio das anhumas).

Alimentação

A sua alimentação básica são plantas flutuantes e gramíneas.


Reprodução

Faz ninhos grandes sobre a vegetação flutuante, ancorada em arbustos ou gramíneas na água rasa. Põe 3 ovos marrom-oliváceos.


Habitat e Distribuição Geográfica

É típica da América do Sul, encontrada na Amazônia, no Pantanal e em regiões do Nordeste e do Sudeste do Brasil e também na Colômbia, no Equador e no Peru.


Ela habita principalmente os pantanais e beiras de lagoas e rios com margens florestadas ou com vegetação rasteira.

Tartaruga caixa americana

0 comentários




Reino: Animalia
Filo:
Chordata
Classe:
Reptilia
Ordem:
Testudines
Família:
Emydidae
Género:
Terrapene
Espécies:
T. carolina
Nome científico:
Terrapene carolina


Descrição
Tartarugas altamente adaptáveis, elas preferem áreas úmidas e arborizadas, com vegetação rasteira eforrada de folha, mas podem ser encontradas em uma variedade de habitats: zonas húmidas, prados, pastagens, florestas e áreas ainda mais secas ao sul da sua distribuição.


Embora eles não são aquáticos, eles muitas vezes se aventuram em águas rasas na beira de Lagos, rios ou lagoas.

Em climas frios, eles hibernam durante o Inverno sob o solo solto de dois metros de profundidade.


Tartarugas Caixa tendem a viver 25-30 anos, mas há casos registrados de tartarugas com 40 ou mesmo 50 anos.


Ela tem evoluído de uma armadura protetora. Embora tenha uma casca dura e pesada em sua parte superior chamada de carapaça e uma parte inferior achatada conhecido como o plastrão.
Quando se sente ameaçada, a tartaruga rapidamente puxa sua cabeça, pescoço e costas para dentro da sua carapaça. O plastrão tem uma dobradiça móvel, o que lhe permite fechar hermeticamente contra a carapaça para esconder a cabeça e membros.


Números tartaruga comum caixa estão em declínio devido à perda de habitat, atropelamentos , e captura para o comércio de animais. A espécie é classificada como vulnerável a ameaças à sua sobrevivência pela Lista Vermelha da IUCN .


Alimentação

Eles são onívoros.
Suas comidas favoritas incluem variedade de insetos, vermes, lesmas, praticamente toda a fruta, bagas, cogumelos, grama, folhas e mesmo carniça.

Reprodução

A época de reprodução começa na Primavera. Os machos se tornam agressivos e fêmeas persegue girando ao seu redor e mordendo-los na cabeça, pernas e até mesmo as bordas das blindagens marginais perto da cabeça.

Após o acasalamento, a fêmea bota 3 a 6 ovos em um ninho superficial que deixou sem proteção. 70-80 Dias (até 110 dias em alguns casos), nascidos filhotes mede cerca de 3 cm.

Lento crescimento, acredita que os jovens passam a maior parte do tempo escondidos na vegetação rasteira e nas folhas em decomposição, alimentando-se principalmente de insetos.

Eles atingem a maturidade sexual entre 7 e 10 anos de vida, em seguida, medindo 12-15 cm de comprimento.

Habitat e Distribuição Geográfica

A tartaruga de caixa comum ocorre em grande parte do leste dos Estados Unidos-de Maine e de Michigan para o leste do Texas e do sul da Flórida e também vive na costa do Golfo do México e da península de Yucatán no México.

Noticias!!!

0 comentários

Bm pessoal desculpe a sumida, mas é que fiquei alguns dias sem internet pelo motivo de meu mouden ter dado pau e não tive muio tempo pra comprar outro, pois estou estudando muito, para ingressar em um mestrado, por isso está assim o blog com apenas postagens no fim e semana, isso ate o problema do moudem acontecer, mas amanha trago um novo post a todos aqui ok.

Abraços e continuem visitando o blog temos mais de 300 postagens sobre diversos animais.

Bom é isso até amanha com um novo post!!!

T-Rex

0 comentários




Nome: Tiranossauro Rex
Nome científico:
Tyrannosaurus rex
Época:
Cretáceo
Local onde viveu:
América do Norte e Ásia
Peso:
Cerca do 8 toneladas
Tamanho:
14 metros de comprimento e 5,60 metros de altura
Alimentação:
Carnívoro


O Tiranossauro cujo nome significa lagarto tirano rei, foi um dos maiores carnívoros terrestres encontrados até hoje, perdendo apenas para o Giganotossauro e para o Carcharodontossauro, seus parentes, possivelmente mais agressivos, pois alguns cientistas acreditam que o Tiranossauro era um carniceiro, assim como os atuais urubus.

Seus dentes afiados eram ligeiramente curvos, de forma a agarrar melhor suas presas. Como o tubarão, uma vez que o Tiranossauro abocanhava sua vítima, para escapar de seus dentes curvos era necessário entrar mais fundo em sua boca. Possuía cerca de cinqüenta desses dentes afiadíssimos de até 20 cm, uma perfeita máquina de fatiar carne. Suas vítimas prediletas eram os hadrossauros e ceratopsídeos.


O Tiranossauro andava sobre duas pernas, que eram fortes o suficiente para sustentar o grande corpo e movimentá-lo à uma velocidade de até 48km/h. Cada pé possuía garras fortíssimas. Três desses dedos eram de apoio e um nem tocava o chão. Os braços minúsculos, com apenas dois dedos cada chegavam a ser até meio ridículos se comparados ao tamanho desse animal. Não se sabe ao certo para que o Tiranossauro usava esses braços; se para se apoiar ou para agarrar a presas. O achado de um crânio danificado comprova que deveriam ocorrer violentas batalhas entre os Tiranossauros, por comida e pelo direito de se acasalar. Viveu durante o período Cretáceo há aproximadamente 66 milhões de anos atrás e pertencia ao grupo denominado de terópodes.


Inicialmente ele foi chamado de Dynamosaurus imperiosus, mas logo recebeu um nome mais apropriado. Este magnífico e assustador animal que foi descoberto no Oeste Americano, tinha a cabeça gigantesca, cerca de 1,20 metros de comprimento e suas mandíbulas eram tão grandes que podiam devorar um ser humano inteiro e exercer uma pressão enorme.

Isso também é umas das características que contestam os hábitos do Tiranossauro como sendo um necrófago.

Falanx

0 comentários


Nome: Falanx
Nome Científico: Amphimorphodus cynomorphus
Época: 50 milhões de anos no Futuro
Local onde viverá: Eurásia
Peso: Cerca de 50 quilos
Tamanho: 2 metros de comprimento
Alimentação: Carnívora


Os roedores são também os predadores dominantes no futuro, esta espécie preencheu o nicho evolucionário deixado pelos caninos, como os lobos.

Descendentes dos ratos, os Falanxes possuem pernas alongadas para longas corridas e uma longa e fina cauda para manter o equilíbrio enquanto correm. Os incisivos desses roedores tornaram-se afiados como caninos para matar suas presas.

A técnica de caça dos Falanxes consiste em isolar um membro do rebanho (em geral de Rabucos, como na imagem) e levá-lo a exaustão antes de atacar, atacando-o em grupos.

Cauda de Cobra

0 comentários


Nome: Cauda de Cobra
Nome Científico: Ophiocaudatus insulatus
Época: 50 milhões de anos no Futuro
Local onde viverá: Ilhas Pacaus
Peso: Cerca de 350 gramas
Tamanho: 0,5 metro de comprimento
Alimentação: Insetívora


Este roedor das ilhas Pacaus possui uma cauda que imita a cabeça de uma cobra, defendendo-se de aves predadoras. Esses animais vivem no alto das árvores alimentando-se de insetos.

Sua cauda também serve como um contra-peso ao se mover dentre os galhos das árvores.